Prognósticos para Apostas Desportivas Online – Aposta Ganha

Antevisão Portugal vs Suíça Liga das Nações

Portugal vs Suíça: A seleção de Portugal, sinais de reconstrução

Para este Portugal vs Suíça, Portugal não é uma seleção nova mas é um grupo que tem, na passagem do Mundial 2018 para esta Liga das Nações 2019, muitos aromas de renovação em várias posições que visam projetar a criação de novos bases de apoio ao onze nacional para o Europeu 2010.

Tudo jogadores com “o futuro á frente para construir” que fazem desta seleção de Portugal, neste torneio fase-final curta, um ensaio interessante para muito jogadores ao nível “top” como “jogadores de elite” da seleção, ao contrário das seleções de Inglaterra e Suíça e Holanda (que mantém a base do mundial) e a Holanda (que regressa a uma grande prova após perturbantes ausências do último Euro e Mundial).

Portugal vs Suíça

O lateral direito João Cancelo é o mais “adulto” dos novos que chegam e neste caso já merecia a chamada, pensando no Mundial, desde essa altura, junto com Nelson Semedo, da mesma idade (vejo, inclusive, Cancelo a jogar na esquerda se for necessário, pis é a posição mais frágil da nossa seleção atualmente).

Agora juntem o central destemido, no corte e a encarar os pontas-de-lança mais duros, Ruben Dias, 22, o inventor ofensivo criador e organizador Bernardo Silva, 24 a rebeldia do avançado Jota, 22, o cérebro de Ruben Neves, 22, a distribuir jogo desde trás fazendo a bola andar de flanco para flanco e depois subindo com ela se for preciso, e, claro, a revelação do campeonato a despontar de forma meteórica, João Félix, 19, para além de Gonçalo Guedes, 22, que permanece com a expectativa de crescimento necessária dentro do potencial que tem.

Nem todos jogarão de inicio, mas todos podem perfeitamente ser pensados nessa lógica.

O grande desafio de Fernando Santos para montar esta seleção “puzzle geracional” será conseguir juntar no mesmo onze inicial os jogadores mais empolgantes da ultima época. Ou seja, juntar a Ronaldo, João Félix, Bernardo silva e Bruno Fernandes.

Para isso suceder vejo um 4x4x2 em que Bruno Fernandes em nome dos equilíbrios tácticos indispensáveis pode começar desde um flanco e depois pegar no jogo “por dentro”, fazendo trocas posicionais com João Félix que imagino a começar (na mesma dinâmica do Benfica) atrás do ponta-de-lança (Ronaldo, claro) e depois a mover-se em largura para voltar a aparecer imprevisível em zona de finalização. No fundo, mobilidade que confunde os adversários.

bruno fernandes portugal

Existe, claro, a hipótese de Bruno Fernandes jogar a nº8, no meio, com Pizzi desde a faixa (a reprodução total da “pequena sociedade” com Félix no Benfica) mas não acredito nessa possibilidade pela aposta firme que Fernando Santos já demonstrou em ter William Carvalho como o seu nº8 de saída de bola em condução, dando um impulso de maior poder físico ao sector e ligação entre linhas/sectores, sem perder a qualidade técnica.

A nº6 Danilo preconiza mais intensidade de recuperação, Rubem dias personifica mais qualidade de distribuição. Numa opinião pessoal, os argumentos do segundo são os que mais me seduzem. Veremos se Fernando Santos, obrigado a fazer isso no primeiro jogo, o mantém para a esperada Final…

Como vejo a seleção da Suíça

Não será fácil, no entanto, derrotar esta seleção da Suíça que sabe jogar e, sobretudo, sabe defender bem ser uma equipa... defensiva por definição, visto que ativa muito bem o contra-ataque, preferencialmente lançando a velocidade de Shaqiri, capaz de depois fabricar ele próprio antes os espaços de remate que depois aproveita, perto do poder físico e técnico de um avançado que todos veem como um nº9 mas que eu penso ser melhor quando tem liberdade de movimentos para encarar com espaço, Embolo (22 anos em potencial técnica-muscular em crescimento).

O cérebro deste onze suíço está, porém, no meio, no “centro de operações de equilíbrio” á frente da defesa e depois distribuição de jogo (o tal momento de transição defesa-ataque através da qualidade de passe). É o retrato que faço de Xhaka, um médio com leitura de jogo em função dos espaços.

shaqiri

Embora começando na linha defensiva, as subidas do lateral esquerdo Ricardo Rodríguez são sempre as mais desequilibradoras a aparecer na frente, com qualidade de cruzamento puxando esse momento mesmo para a linha final, o que faz sofrer mais os defesas adversários quando a bola entra tensa, nesses cruzamentos, para a área.

É uma equipa, também, com um excelente guarda-redes que poucos valorizam a nível internacional como de “top”: Sommer. Tem muitas épocas de experiência na dureza da Bundesliga e é muito forte entre e fora dos postes.

Em termo atacantes, falei de Shaqiri e Embolo mas não me esqueço, claro, de Seferovic, renascido agora para a dimensão certa da sua carreira e que, no futebol suíço, é logo sempre visto com expectativa porque não se esquecem que foi que ele a marcar, em 2010, o golo que valeu a conquista, nessa altura, do Mundial sub-17.

suica seferovic

Penso que, desde essa data não terá gerido da melhor forma as expectativas de crescimento e gestão da carreira. Há degraus que devem ser respeitados em função do verdadeiro potencial (e não do, muitas vezes, excessivamente avaliado) dos jogadores.

Agora, aos 27 anos, Seferovic está no pleno dessa capacidades porque está essencialmente no máximo da inteligência em as saber aproveitar. Jogar a titular contra Portugal pode ser um “golpe emocional”.

Os adeptos suíços continuam a exigir-lhe sempre golos e, ás vezes perdem a paciência com ele, mas, nesta fase, Sefervoic já está noutra dimensão de entender o jogo. Aguenta os momentos de critica e depois, no lance e na bola certa, responde como sabe e decide.

Será um grande jogo, para testar novas ideias na nossa seleção e o inalterável esquema suíço de defesa e contra-ataque.

Prognóstico
Portugal vs Suiça – Portugal vence a 1.66 na Esc Online

Telegram ApostaGANHA
50€ de Bónus
50€ de Bónus
20€ de Bónus
Freebet de 10€