Prognósticos para Apostas Desportivas Online – Aposta Ganha

As “ diferentes gerações” da nossa seleção

Nunca acreditei na teoria da renovação global aplicada a uma seleção porque as gerações não se sucedem assim dessa forma geral em termos futebolísticos. Numa seleção, pelo contrário, elas cruzam-se constantemente.

Por isso é natural vermos um onze onde coincide um novo craque a nascer como João Félix, 19 anos, como um velho caminhante dos relvados como Pepe, 36.

Ou ver no nosso ataque, Cristiano Ronaldo sempre demolidor, com 34 e Bernardo Silva (que acredito possa ser Bola de ouro daqui a umas épocas, com 24).

Todos jogam no mesmo onze, vindo de gerações de diferentes. Jogam no mesmo tempo futebolístico.

pepe portugal

O que se sente, naturalmente, é a necessidade de olhar individualmente para cada posição e em face do inexorável passar do tempo, sentir que, em algumas delas, essa necessidade de criar novas referencias é maior do que noutras.

Sucede, por exemplo, com os centrais, mas quando parecia “não existir ninguém” com valor indiscutível de seleção, Ruben Dias começou a ganha espaço no onze o Benfica, marcou a sua presença, com qualidade e atitude competitiva invulgar e agora, aos 21, pode fazer dupla com o “velho” Pepe, de 36.

Uma seleção é isto, e a sua renovação é antes uma reconstrução posição por posição em face daquilo que com o passar do tempo é exigido a cada pais e seu futebol.

Claro que pode suceder identificar-se um grupo mais forte em que seja possível estar a ver-se nascer um núcleo de novos jogadores de elite para a seleção.

Sucede quando vemos os êxitos de uma seleção de sub-17 ou sub-29, mas, mesmo nesse caso, bastam poucas épocas para provar que esse núcleo quando é obrigado a atravessar o túnel da maioridade de craque, se reduz a dois ou três jogadores para entrar no caminho de seleção de forma indiscutível.

Prognóstico para apostas
Portugal vs Ucrania – Qualificação Euro 2020 – Portugal a 1.41 na Esc Online

Este ano vai se disputar o Mundial sub-20 e por isso é natural que ainda não se veja a bater na porta da seleção principal um ponta-de-lança como Rafael Leão.

Acredito que se trata de um exercício de gestão entre as várias seleções (e selecionadores) para encontrar uma lógica de construção para os diferentes níveis do edifício global da seleção.

Reconstrução posicional (isto é, por posição) e não renovação global. É esta a filosofia da cadeia alimentar que vai “reforçando” através dos tempos as seleções.

As gerações misturam-se, tal como os estilos, até formar um grupo de idades multidimensionais no… mesmo jogo.

A convocação de Dyego Sousa

Dyego Sousa é um dos melhores pontas-de-lança, indiscutivelmente, da Liga NOS.

Nasceu no Brasil mas fez toda a carreira desportiva em Portugal pelo que mesmo não sendo eu adepto dos naturalizados, o seu caso é diferente porque nasceu e cresceu futebolisticamente em Portugal. Por isso, vejo-o como um jogador português porque sempre cá jogou e começou a viver o… futebol.

dyego souza

Outra questão é analisar a sua convocatória. Já expliquei porque vejo Rafael Leão a brilhar no Lille em França a ficar de fora. Dyego Sousa é uma convocação do momento.

Não é uma convocação de reconstrução… individual a longo prazo. Faz 30 anos no final de 2019, pode chegar até ao euro 2020 mas mais do que isso não acredito, nem penso que Fernando Santos também pense nisso.

É um nº9 que teve uma carreira por vários clubes ditos de segundo plano, até se fixar no Marítimo (pelo meio um ano sem jogar) e por fim o Braga onde, numa grande equipa, explodiu.

Não é um jogador para reconstruir a posição para o futuro. É um jogador para ocupar a posição no momento. (para já, estes dois jogos, Ucrânia e Servia).

Prognóstico para apostas
Portugal vs Ucrania – Ronaldo Marca 1.71 na Bet Pt.

Uma seleção também tem estes momentos e é feita deste cruzamento de selecionáveis por razões diferentes. Uns são convocados para ganhar o jogo seguinte do presente. Outros são convocados para, além disso, começar a ganhar os jogos do futuro.

Cancelo-Pizzi-Bernardo Silva: o triângulo mágico

O espaço que mais gosto de ver na nossa seleção é a asa direita (flanco e espaço interior descaído em apoio) com Cancelo a subir (espetacular lateral-direito), Bernardo Silva, falso ala-direito que canhoto inventa em diagonais para ser nº10, segundo avançado, organizador e rematador (o que quiser, afinal) e Pizzi, um nº8 armador e livre que vem desde trás.

Os três, combinam o passe, recepção (passe outra vez) e desmarcação, á linha para cruzar, ou por dentro, para desequilibrar e rematar. Nesta sociedade de “triângulo de apoios” vê-se hoje o melhor futebol colectivo da seleção.

Por onde ataca e defende melhor na reação á perda da bola.

bernardo silva

É o espaço da equipa que menos necessita de rotinas de treino (algo a que falta tempo a uma seleção para criar um estilo ou modelo de jogo com identidade clara).

Em termos de sistema tanto podem encaixar num 4x3x3 como num 4x4x2. Têm inteligência para perceber as movimentações a partir das duas estruturas (embora os goste mais de ver, como toda a equipa, em 4x3x3).

Ganhar estes dois jogos não é obrigação mas sim uma naturalidade que o estatuto do futebol português (sua seleção) adquiriu no futebol europeu e mundial
E seguir em frente, mesclando craque de gerações diferentes. Sem parar nunca.

Prognóstico para apostas
Portugal vs Ucrania – Qualificação Euro 2020 – Over 2.5 Golos a 1.93 na Betclic.

Telegram ApostaGANHA
50€ de Bónus
50€ de Bónus
20€ de Bónus
Freebet de 10€