Apostas Online em Portugal – Aposta Ganha

Ases do Ténis aterram em Portugal esta semana

O ponto alto do calendário tenístico português chega já esta semana com a realização do único evento ATP em solo nacional, o Millennium Estoril Open, que apresenta um dos seus quadros mais fortes e competitivos de que há memória…

João Sousa com missão quase impossível de defender o trono

O melhor tenista português de todos os tempos, João Sousa conseguiu finalmente conquistar o Estoril Open na edição anterior após vários anos de desilusão onde teimava em não passar das rondas iniciais.

A sua prestação na época passada só veio acentuar a ideia de que nunca um tenista português havia sido tão bem-sucedido no panorama do ténis internacional quanto o vimaranense, no entanto a presente temporada não está a ser propriamente positiva e o Conquistador chega ao Estoril em baixo de forma e, provavelmente com ambições moderadas no que à defesa do título diz respeito.

sousa estoril

Sousa chega ao torneio do seu país mergulhado numa sequência negativa de resultados, tendo vencido apenas duas das últimas oito partidas disputadas e perdendo as últimas três, duas delas em terra batida.

É certo que a qualidade com que se deparou em Monte Carlo – Daniil Medvedev – e em Barcelona – Guido Pella – tornava a sua missão relativamente complicada, no entanto será este tipo de adversários que o português terá de enfrentar e derrotar se quiser defender o seu título no Estoril com sucesso.

Não espanta, por isso, que João Sousa esteja muito longe do leque de favoritos nas cotações para vencedor do torneio, surgindo avaliado em 14.00 na Betclic para revalidar o troféu conquistado em 2018, e atrás de mais de dez tenistas que, teoricamente têm maiores possibilidades que o tenista luso.

Stefanos Tsitsipas em busca de embalagem para Roland Garros

O 1º cabeça-de-série e favorito à conquista do torneio é o jovem Stefanos Tsitsipas que já aqui marcou presença na edição anterior, tendo sido batido por João Sousa numa Meia-Final altamente disputada onde o tenista nacional se superiorizou no derradeiro set em tie-break.

O jovem tenista grego é muito forte em terra batida, embora esta temporada ainda não tenha conseguido se afirmar na superfície, ficando aquém das expectativas em Monte Carlo e Barcelona.

De qualquer modo, com o leque de tenistas inscritos no torneio português, e tendo em conta um piso previsivelmente lento que favorece os tenistas mais talentosos do ponto de vista das trocas de bola de fundo do court, é evidente que o favoritismo que lhe é atribuído se justifica, com Tsitsipas cotado em 3.00 para vencer o torneio na bet.pt, uma das maiores casas de apostas em Portugal.

tsitipas

O grego terá ainda a benesse de ficar isento nos jogos da primeira ronda devido ao seu estatuto de pré-designado (são quatro os jogadores que beneficiam desta vantagem) e tal pode lhe permitir conquistar o torneio disputando apenas quatro jogos ao longo da semana em solo lusitano.

Stefanos Tsitsipas já venceu diversos torneios da categoria Challenger em terra batida, mas ainda procura o seu primeiro no circuito ATP com este a perfilar-se como uma excelente oportunidade de o conseguir. Depois de não ter jogado muito tempo nos últimos dois torneios em terra batida, o grego deve surgir fresco e motivado para mostrar as suas credenciais.

O tenista grego já brilhou na presente temporada ao eliminar o mítico Roger Federer nos quartos de final do Open da Austrália, primeiro Grand Slam do ano, no entanto não teve argumentos para o espanhol Rafa Nadal na semifinal. Trata-se claramente de um dos tenistas da nova geração com maior qualidade para fazer frente à elite do ténis, e os próximos meses serão novo barómetro para aferir da evolução que o tenista está a ter.

Fabio Fognini nas nuvens é um pau de dois bicos

Dificilmente se poderá encontrar um tenista mais imprevisível do que o italiano Fabio Fognini em todo o circuito ATP – apenas Benoit Paire e Nick Kyrgios parecem estar ao seu nível nesse departamento – mas a verdade é que ele chega ao Estoril após uma sensacional demonstração de todo o seu talento no torneio Masters 1000 de Monte Carlo onde superou toda a concorrência e conquistou o seu primeiro torneio nessa categoria.

E este título conquistado ganha ainda maior relevância se levarmos em linha de conta que teve de afastar apenas e só um tal de Rafael Nadal na semifinal, num triunfo em dois sets por 6-4 e 6-2 que realmente trouxe à tona toda a sua capacidade enquanto tenista, bastando que esteja confiante e focado no seu objetivo.

De qualquer forma, o carismático italiano é uma ‘caixinha de surpresas’ e nunca se sabe o que dali poderá sair. Só a título de exemplo, Fognini venceu em Monte Carlo e precisou de seis triunfos consecutivos para o alcançar, no entanto antes disso ‘Fogna’ vinha numa sequência de sete derrotas em oito partidas e parecia totalmente fora de forma.

Ainda assim, não podemos ignorar que o italiano é um verdadeiro especialista em pó-de-tijolo e caso esteja sintonizado e focado, é uma ameaça para qualquer adversário. Oito dos seus nove títulos no circuito ATP foram obtidos nesta superfície e não há como negar a sua qualidade.

Fognini está cotado em 4.00 para vencer o Estoril Open na Betclic e muito dependerá do seu foco e concentração ao longo da semana. O italiano descansou na semana passada após a conquista de Monte Carlo e pode surgir de baterias carregadas.

Mas uma vez mais reforço a ideia: trata-se de um jogador do qual podemos esperar tudo e nas cotações atuais não creio que represente grande valia como aposta, pois, ele é demasiado instável para justificar uma cotação tão baixa.

Dupla gaulesa à espreita de deslizes

Os outros dois pré-designados do torneio são dois gauleses com formas de jogar completamente distintas, mas igualmente credenciados.

David Goffin (7.00) baseia o seu jogo numa postura mais típica apostando na consistência de fundo do court e na exploração da velocidade da bola do seu adversário para contra-atacar.

Gael Monfils (4.40) é muito mais adepto da anarquia tática e da imprevisibilidade dos seus movimentos, mesclando momentos de genialidade defensiva com ataques ferozes que por vezes originam pontos extraordinários ou autênticos disparates incomuns em tenistas profissionais.

goffin monfils

De qualquer forma, ambos os tenistas vivem períodos de pouco fulgor no circuito masculino devido a problemas físicos sucessivos que os vem impedindo de ter alguma regularidade no seu jogo e um bom ritmo competitivo.

Tendo em conta que só terão de realizar quatro partidas até uma eventual conquista do troféu, as suas possibilidades aumentam significativamente, porém estou convencido de que tanto Tsitsipas como Fognini estão atualmente em melhores momentos de forma e tenderão a superiorizar-se à armada gaulesa.

Outsiders que podem baralhar as contas

Embora não existam muitos tenistas de qualidade mediana para além dos principais favoritos, temos um curto leque de jogadores que pode intrometer-se na discussão do título.

O jovem norte-americano Frances Tiafoe causou sensação em Portugal no ano passado ao atingir a Final, sendo batido por João Sousa por duplo 6-4, mas a sua apresentação ao público nacional não passou despercebida e as suas qualidades não podem ser subestimadas pelos principais favoritos.

Por outro lado, Tiafoe não é um especialista nesta superfície e esta temporada ainda só jogou uma vez no pó-de-tijolo, perdendo em dois sets para Jaume Munar em Barcelona.

Ele está cotado nos 14.00 tal como João Sousa, mas seria necessária uma grande evolução de uma semana para a outra para que pudesse repetir a presença na Final do ano passado, afinal esta edição parece mais competitiva no que respeita aos principais cabeças-de-série.

Alexei Popyrin é outro dos jovens tenistas que pode incomodar os mais fortes. O australiano de apenas 19 anos já venceu o torneio de Rolando Garros em juniores em 2017 e isso colocou a nu as suas qualidades em terra batida pelo que também não pode ser subestimado.

tiafoe

Ele já venceu duas partidas no Estoril este ano, batendo jogadores experientes como Gastão Elias e Simone Bolelli nos qualifyings a fim de marcar presença no quadro principal. Ele está com cotações de 25.00 para surpreender toda a gente, no entanto teria de vencer sete encontros ao longo da semana para o tornar realidade, algo que me parece muito difícil.

Isto porque o seu calendário também não será propriamente acessível. Já na primeira ronda irá enfrentar o campeão do torneio, João Sousa, que figura como favorito a vencer o encontro a 1.57 na ESC Online face aos 2.25 do jovem australiano.

Sousa não vive um bom período, mas certamente quererá defender o seu título da melhor forma e vencer o primeiro encontro será como cumprir os serviços mínimos. Quem emergir triunfante desta primeira ronda irá enfrentar o 4º cabeça-de-série do torneio, David Goffin noutra partida de grande exigência logo na segunda ronda.

Deste modo, é fácil concluir que a tarefa de João Sousa, assim como do jovem Popyrin, não será nada fácil até às fases mais adiantadas do torneio pelo que uma aposta em qualquer deles para vencer o torneio será certamente ousada e de difícil realização.

Aqui no Aposta Ganha, faremos o acompanhamento do torneio com prognosticos de tenis para os vários encontros diários que terão lugar de hoje até ao próximo Domingo. Fique connosco!

 

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *