Prognósticos para Apostas Desportivas Online – Aposta Ganha

Balanço época de Futebol Liga NOS 2018/2019 em Portugal

Benfica: Como se conquista um titulo

Não foi uma temporada de grande inovações tácticas mas o aparecimento de Bruno Lage a meio da época com vontade, desde que pegou no carro após o convite para assumir a equipa, de deixar uma marca, terá sido o “ponto de viragem inesperado” num campeonato que já parecia ter outro destino.

Apareceu João Félix e um novo 4x4x2 com mobilidade, o Benfica do meio-campo com Pizzi-Gedson em pressão e saída passou a ter linhas diferentes com Samaris como nova âncora de nº6 em passada larga e um nº8 tecnicista, Gabriel, que segurava a posição e fazia a transição defesa-ataque fazendo sair a… bola, num passe de qualidade.

Balanço época de Futebol 2018/2019 em Portugal

Mesmo tendo problemas a defender quando perdia a bola (a transição defensiva tinha dificuldade em passar para 4x2x3x1 ou 4x4x2 clássico em organização ou pressão), esta fórmula relançou o jogo ofensivo do Benfica, impulsionando na profundidade por Rafa e Seferovic que no modelo-Lage encontraram um espaço de movimentação muito diferente do que tinham no 4x3x3 de Rui Vitória.

No fundo, a transformação do Benfica teve a ver com uma nova visão do mesmo plantel que permitiu forma um novo onze e a partir dai uma dinâmica alternativa de jogar. Não é fácil fazer isto a meio da época, quando outras rotinas já estão instaladas.

Os jogadores necessitavam desse novo impulso táctico e emocional (a ordem é arbitrária porque o processo é simultâneo) e nessa “segunda vida” como que inventaram um… segundo campeonato.

João Félix é mais do que um segundo avançado e desafia os cânones de exaltação física do jogo pela forma como sem ninguém lhe detectar os músculos que fazem o jogador fisicamente forte, aguentar os 90 minutos com uma resistência atlética superior, mobilidade (tanto cai na direita em troca posicional com Pizzi, como surge no meio ou na área a finalizar) e, sobretudo, na imprevisibilidade em tudo o que faz.

Foi, claramente, a revelação da época ao mais alto nível.

Como avaliar o Sporting de Keizer?

A outra mudança da época sucedeu no Sporting das Taças, duas conquistas nos penaltys mas que tiveram antes uma marca de evolução do entendimento do que é a correlação de forças dentro do futebol português por parte de um treinador, Keizer, que quando chegou quis instalar na base um modelo de “jogo de triângulos” com bloco subido e linhas juntas (jogadores próximos uns os outros).

A aquisição da consciência da realidade, isto é, a diferença para Benfica e FC Porto fez com que nos jogos com os grandes (mesmo contra o Braga na meia-final da Taça da Liga) incutisse uma nuance estratégica nesse modelo, baixando mais o bloco e gerindo o jogo essencialmente em expectativa.

Percebera que tinha de repensar os conceitos de transição, quer a defensiva quer a ofensiva, colocando os momentos de organização dependente deles.

Contra equipas ditas médias-pequena, em ataque organizado de circulação, contra equipas grandes, em ataque rápido ou contra-ataque.

Assim conseguiu vencer Taça da Liga e Taça de Portugal a Benfica e FC Porto (meias finais e Final) mas, antes, enquanto entendia o que era o futebol português (suas equipas, formas de jogar, percebendo a diferença de jogar em casa e fora, idiossincrasias de cada clube etc) perdera a hipótese de lutar pelo titulo, descolando do topo, criando um abismo para os dois primeiros e a certo ponto para o terceiro lugar (só recuperado muito devido á quebra do Braga).

Entretanto a equipa foi, claro, melhorando, mas nesse processo de mútuo conhecimento Kaizer-futebol português-jogadores perdera-se a hipótese de lutar pelo titulo.

As Taças salvaram a época mas embora a consistência da equipa tinha crescido com o decorrer do tempo (e da aprendizagem nos jogos, sobretudo os que perdia) houve um jogador que viveu sempre acima do colectivo e levou-o, muita vezes, para onde não iria sem ele: Bruno Fernandes, claro. Foi, claramente, o melhor jogador da época nos nossos relvados.

Como jogando melhor, o FC Porto perdeu?

O FC Porto caiu agarrado ás suas convicções que em nenhum momento, mesmo quando começou a perder a grande vantagem que tivera como líder, colocou em questão.

Em ternos-macro de modelo de jogo, penso que fez bem porque este modelo de ataque rápido com pressão alta e aproveitamento da largura com laterais e alas por dento, preferindo a conquista rápida da profundidade á posse pela posse (só a queria para circular até descobrir por onde furar, qual o flanco ou centro, devia tentar entrar para ultrapassar defesas muito fechadas) estava completamente enraizado na forma de jogar da equipa e características dos seus jogadores.

Faltou-lhe, no entanto, por vezes, maior frieza de capacidade “gestão do jogo” no sentido de baixar o ritmo e continuar a mandar em campo.

Quando isso acontecia (em geral passando para 4x3x3 com Oliver) a equipa como entrava num corpo táctico inconfortável que, mesmo ganhando, nunca a fez jogar bem.

varandas porto

Por isso, Octávio foi o jogador-táctico chave deste FC Porto pela forma como vindo da ala e/ou jogando por dentro (dando o corredor a Marega que jogava de dentro-centro para fora-faixa e explodia em velocidade muscular física) transformava o sistema (de 4x4x2 em 4x3x3 e vice-versa) dando uma presença mais forte ao meio-campo ou mobilidade ao ataque.

As derrotas nos penáltis têm sempre a crueldade que Conceição falou mas mais do que essa decisão dos onze metros (um “jogo á margem dos 90 minutos”) ele queria referir-se ao facto de no jogo jogado, nessas Finais, o FC Porto ter sido sempre superior na iniciativa de jogo. Atacou mais, mandou na bola em posse, criou mutas mais oportunidades.

Voltem então agora a ler o texto sobre o Sporting e percebam onde esteve o elixir de Keizer.

A estratégia e eficácia da sua aplicação contra o modelo automático e veloz do FC Porto mas que não teve a eficácia do ultimo elo jogo-golo nesses momentos decisivos.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Telegram
50€ de Bónus
10€ de Bónus