Leicester em Southampton – Como pode nascer um 0-9?

Aposta Ganha / Destaques do Desporto e das Apostas / Leicester em Southampton – Como pode nascer um 0-9?

Olhar só para o resultado assusta mas depois vemos o jogo e há sempre explicação para tudo, mesmo para resultados de colocar os cabelos em pé, como o 0-9 que o Southampton levou do Leicester na ultima jornada do campeonato inglês.É verdade que sofreram uma expulsão cedo, a do lateral esquerdo, Betrand, e assim a estratégia de três centrais do treinador Hasenhutl ficou desde logo comprometida.

O Leicester em Southampton – Como pode nascer um 0-9?

E aqui esteve a origem da goleada aterradora. Na primeira parte após a expulsão aos 12 minutos, o treinador nunca conseguiu reorganizar a equipa. Começou por passar o extremo direito Ward-Prowse, para lateral-esquerdo, mas a organização mesmo com menos um jogador perdeu-se, não se soube readaptar á inferioridade numérica.

Leicester em Southampton

Hasenhutl voltou a mexer, moveu os médios, mexeu no outro flanco com Valery a recuar, mas sem conseguir estabilizar a ideia que teria de ser de aplicação rápida para jogar com esse imprevisto.

E no meio dessas hesitações surgiram mais dois golos. De repente, o marcador subia sem que o Leicester estivesse a acelerar ou a carregar muito porque já vimos muitos jogos em que uma equipa com menos um jogador sabe até se concentrar mais atrás, fechando melhor todos os flancos e aguentando os seus posicionamentos para depois ainda tentar um contra-ataque.

O que nunca pode acontecer é o treinador hesitar tanto e não decidir como deve colocar a equipa a defender num onze com dez. Porque pode ficar a atacar com menos um jogador, mas a defender tem de ter os mesmos, até reforçar nos apoios. Foi esse o problema e origem da goleada.

A incapacidade do treinador organizar a equipa com dez durante toda a primeira parte, mexendo sucessivamente as peças sem lhe dar rigor defensivo. O 0-5 ao intervalo foi produto disso.

Ao intervalo, o técnico Hasenhutl fez duas substituições, metendo laterais de raiz, passando para 4x4x1, agora com Stephens e Danso a laterais de raiz, bem colocados, e subindo Valery para defender melhor. A equipa conseguiu estabilizar.

Viria a sofrer mais golos, mas mais na parte final do jogo, já com a equipa totalmente desgastada. O 0-9 foi um penalty de Vardy e o jogo acabou.

9-0 leicester

O Leicester igualava o record da maior goleada da história da Premier League que começou nos anos 90, e colocou-se ao lado do mítico Manchester United de Fergusson que deu em 94/95, 9-0 ao Ipswish.

Claro que não existem comparações entre as duas equipas.

Uma era das melhores de sempre do futebol inglês, a de Fergusson, a outra, a do atual Leicester também merece, no entanto, uma análise táctica atenta porque tem um belo treinador, Bredan Rodgers. que profetiza um estilo de jogo com maior respeito pela bola e jogo apoiado, com um belo médio nº10, Madison e um ponta-de-lança, Vardy, que quando é necessário dá outro estilo, o mais britânico, para receber bolas longas em profundidade e resolver.

Dybala pode ser titular na Juventus com Ronaldo?

A Juventus que jogou contra o Lecce em Italia foi um belo exercício táctico de perceber o que poderá ser a equipa sem Cristiano Ronaldo (não convocado numa opção de gestão física de Sarri que sabe ter de fazer esta proteção física para CR7 aguentar depois a intensidade de tantos jogos seguidos em três e três dias).

Confirmando aqui o que já vinha do jogo com o Lokomotiv Moscovo (onde, nesse caso, jogou com Ronaldo) foi a oportunidade de ver a titular um jogador debatido demais para o talento que tem: Dybala.

Ele é um segundo-avançado por definição, tem velocidade com bola, poder de drible e movimentos de ruptura com bola (quando arranca com ela e invade espaços em controlo perfeito) ou sem bola (procurando desmarcações a pedir o passe).

sarri cr7

Já lhe aconteceu, num sistema de 4x3x3, ser, como é comum neste tipo de jogadores que são quase os nº10 modernos criativos, ser desviado (quase desterrado) para um flanco e então ele tinha de procurar uma forma de saída para o seu talento, o que o fazia em diagonais.

No novo 4x4x2 da Juve de Sarri é mais difícil, porque a dupla de ataque é feita sobretudo em função de perceber qual o melhor companheiro-avançado para jogar com Ronaldo.

Nesse sentido, pensando numa dimensão mais forte e até física do jogo para chocar contra muitos defesas como é tradicional nas equipas italianas médias-pequenas que defendem muito, a escolha é Higuain.

Combina melhor com Ronaldo, porque, no fundo, Ronaldo…. aceita-o melhor, visto que (um pouco como era Benzema no Real Madrid), Higuain não tem talento para inventar por ele jogada e mantendo-se na frente á espera da bola que aparece, muitas vezes arrasta marcações para Ronaldo ter o protagonismo certo de goleador-exterminador.

Com Dybala é diferente, porque ele não joga em “função de”, mas em “torno de”.

Neste caso em concreto, seria em torno de Ronaldo, aparecendo desde trás, movendo-se a toda a largura e indo buscar muitas bolas que seriam de Ronaldo, como se viu nos dois golos fantásticos ao Lokomotiv (indo buscar atrás e rematando, ou aparecendo desde trás e recargando para o golo da vitória).

Nos dois lances, Ronaldo estava por perto, mas a velocidade de chegar aos espaços (entenda-se
espaços onde a bola cai) de Dybala é maior. E marcou.

Por isso, Sarri tem de decidir.

O melhor para Ronaldo ou o melhor para a equipa? Parece absurdo este dilema, porque Ronaldo pelo seu génio goleador resolve jogos sozinho, mas para Dybala jogar, Ronaldo tem de ter menos protagonismo no sentido da equipa jogar só para ele.

É, no fundo, uma nova forma de atacar nas movimentações de aproximação à área que penso faria a equipa mais imprevisível e dinâmica.

E, em conclusão, faria Ronaldo mais jogador de equipa e Dybala membro titular do onze. O melhor de dois mundos, afinal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




CASAS DE APOSTAS LEGAIS
3,3 rating
Não tem bónus de Boas vindas para a apostas desportivas online.
4,0 rating
10€ Gráris mais 200% de bónus sobre o valor do seu depósito até um máximo de 50 de euros.
3,5 rating
5€ Grátis com o Código Promocional: apostaga
mais Bónus no primeiro depósito até um máximo de 100 euros.
3,0 rating
Não tem bónus de Boas vindas para a postas desportivas online.
3,3 rating
Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 50% até um máximo de 100€ euros.
3,5 rating
Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito aposta sem risco até 50 euros.
3,3 rating
Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 50% até um máximo de 50 euros.
3,8 rating
Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 100% até um máximo de 100 euros.
4,3 rating
Freebet de 10€ mais 100% de bónus sobre o valor do seu depósito até um máximo de 250 de bónus.
4,5 rating
Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 50% até um máximo de 50€ euros.