Foi perante a presença de cerca de um milhar de espectadores, com um cenário de bancadas profundamente despidas, que Rafael Nadal chegou à conquista do 20.º Grand Slam da sua incrível carreira, marca que iguala o feito de Roger Federer.

DJOKOVIC IRRECONHECÍVEL CONTRA UM NADAL DOMINADOR

À vitória sem espinhas, Nadal juntou uma exibição de clara superioridade perante Novak Djokovic, vítima de mais um 3-0 do espanhol no Open de França.

Sem descurar o facto do favoritismo das principais casas de apostas recaírem sob o triunfo de Rafael Nadal à partida para a grande final de Roland Garros, poucos seriam os que acreditavam numa vitória sem margem para dúvidas, até porque do outro lado estava Novak Djokovic, sérvio que lidera o ranking ATP e que, em 2020, ainda só tinha perdido numa ocasião – e por desqualificação (no US Open, onde atirou uma bola à cara de uma das juízas de linha).

A verdade é que o jogo começou e Rafael Nadal cedo demonstrou estar num dia francamente positivo, contando em agregado com uma prestação irreconhecível de Novak Djokovic, que, depois de suar para eliminar Stefanos Tsitsipas nas meias-finais do Grand Slam francês, acumulou erros atrás de erros e más decisões.

Foram precisos apenas 48 minutos para o tenista espanhol, atual número 2 do ranking global masculino, limpar o primeiro set, com triunfo por expressivos 6-0.

Com os seus níveis de concentração no máximo e a qualidade que se lhe reconhece a servir, Rafael Nadal esticou para o segundo set a vantagem que já havia demonstrado no primeiro, contra Djokovic. 6-2 foi o resultado, numa disputa que se arrastou por 51 minutos.

No terceiro set, Novak Djokovic entrou melhor, ainda esboçou uma reação e prometia reabrir as contas da decisão, mas esbarrou num Rafael Nadal igual a si próprio. Foram precisos 12 jogos, mas o espanhol acabou mesmo por derrotar Djokovic por 7-5 no último set, que consumaria a conquista do 20.º Grand Slam da sua carreira, aos 34 anos de idade.

DJOKOVIC IRRECONHECÍVEL CONTRA UM NADAL DOMINADOR

Uma marca que igualou o feito pertencente a Roger Federer, suíço que tem estado de fora das quadras em virtude de estar a recuperar de uma lesão no joelho.

«Foi um ano muito duro para mim. Ganhar aqui é tudo para mim. Não é o momento de pensar no empate de títulos com o Federer. Hoje é apenas uma vitória num Grand Slam. Passei aqui alguns dos melhores momentos da minha carreira. Só posso agradecer a todos os que estão aqui. A história de amor que tenho com esta cidade e este court é incrível», referiu Nadal após a sua conquista.

13 EM 16 PARA NADAL, QUE RECEBEU FORTES ELOGIOS DE ROGER FEDERER

Que categoria! Foi sem margem para dúvidas que Rafael Nadal se superiorizou a Novak Djokovic e escreveu mais uma bonita história nos livros da sua brilhante carreira como tenista profissional.

Ao fim de 16 épocas, o tenista espanhol natural de Manacor, conquistou a 13.ª vitória em Roland Garros, terceiro major da temporada.

Uma conquista que mereceu rasgados elogios por parte de Roger Federer, nome maior da história do ténis que tem estado fora de competição.

Livre de qualquer desdém por ter visto o seu recorde alcançado pelo amigo Nadal, o suíço mostrou-se, uma vez mais, um desportista incrível com um fair-play notável.

«Sempre tive o maior respeito pelo meu amigo Rafa como pessoa e campeão. Como o meu maior rival durante tantos anos, acredito que nos temos empurrado um ao outro para sermos melhores. Por isso, é uma grande honra dar-te os parabéns pela 20.ª vitória num Grand Slam», referiu Federer.

O suíço apontou mesmo o título de Nadal neste domingo como um dos maiores da história do desporto:

«É ainda mais espantoso o facto de já teres vencido Roland Garros por incríveis 13 vezes, que é um dos maiores feitos do desporto. Quero também congratular a tua equipa, porque ninguém pode fazer isso sozinho. Espero que 20 seja apenas mais um passo na nossa jornada. Bem feito, Rafa. Tu mereces», concluiu.

DJOKOVIC RENDIDO À SUPREMACIA DE NADAL NA FINAL

Depois de dois primeiros sets onde foi completamente dominado, a um nível tão estranho quanto surpreendente, por Nadal, o sérvio melhorou o nível do seu jogo no terceiro set, mas não o suficiente para reduzir a desvantagem trazida.

Vencedor de 14 dos últimos 18 jogos no confronto direto frente a Rafael Nadal, Novak Djokovic era a imagem da desilusão, mas também da resignação após a final perdida em Paris.

«Sofri na carne frente ao rei da Terra. Não estou confortável com a forma como o jogo decorreu hoje. Fui superado por ti, Rafa», disparou num tom forte o tenista sérvio, atual número 1 mundial.

 

Gostaste do nosso conteúdo?
Então regista-te no nosso canal do Youtube e assiste aos nosso Podcasts de Apostas. Entra nas nossas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter. Ainda tens o nosso Chat no Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Casas de Apostas
Solverde Apostas

Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de até um máximo de 100 euros.

Luckia

Não tem bónus de Boas vindas para a postas desportivas online.

Nossa Aposta

Não tem bónus de Boas vindas para a postas desportivas online.

Betclic

Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 50% até um máximo de 50 euros.

Bet.pt

Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 50% até um máximo de 50 euros.

Betway

Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 100% até um máximo de 100 euros.

ESC Online

Freebet de 10€ mais 100% de bónus sobre o valor do seu depósito até um máximo de 250 de bónus.

Betano

Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 50% até um máximo de 50 euros.