Apostas Online em Portugal – Aposta Ganha

Os segredos do trading – David e Golias

Os segredos do trading. Este mês falo das técnicas mais básicas, simples e obrigatórias para qualquer trader, Hedge, do Scalping e do Leverage

Vou falar do Hedge, do Scalping e do Leverage, conceitos obrigatórios para qualquer trader.

Prometo que até para os mais entendidos na matéria poderão aprender qualquer coisa com este artigo, ainda que aparentemente demasiado básico.

Hedge Scalping Leverage Mais

Hedge

Se estão a ler esta crónica, muito provavelmente sabem o que é fazer hedge, mas de qualquer modo esta é uma lição de técnicas básicas de trading, logo, acho por bem explicar o que é, concluindo com a “segurança do 1,01” que muitos fazem.

Hedge consiste em aproveitar o facto de termos uma posição aberta a nosso favor para comprar uma posição por um valor mais baixo, de maneira a não ter qualquer exposição da nossa banca, e obter igual lucro seja qual for o resultado do jogo.

  • Se fizermos um back de 100€ @ 3, potencialmente podemos ganhar 200€ ou perder 100€.
  • Se fizermos um lay de 100€ @ 2, potencialmente podemos ganhar 100€ ou perder 100€.
  • Assim sendo, consolidando estas correspondências, ou ganhamos 0€ ou ganhamos 100€.

O hedge é a arte de calcular exactamente que valor teremos que apostar (ao invés de 100€ para, ao invés de ser uma +0€; +100€ situation, ser uma situação em que ganhamos n ou n, ou seja, sempre o mesmo valor.

Neste caso seriam 47,5 € o valor a apostar, sendo que ganharíamos sempre este valor. Como saber quanto devemos apostar? A fórmula é sempre a seguinte:

No entanto, há imensas ferramentas das quais se podem aproveitar para poder para fazer a conta rapidamente: através de calc tools na internet através de spreadsheets de excel (basta copiarem as fórmulas e substituir os valores, ou procurar no google por alguma já feita),.

Através de programas de trading especializados (como o BetAngel ou o Geek’s Toy) que fazem o hedge com apenas um clique, método que recomendo vivamente.

Por fim, o novo botão “hedge” da Betfair, que está disponível apenas em certos mercados, mas que não recomendo, pois faz um hedge ao máximo valor oferecido, e um trader deve sempre escolher o valor que quer vender, sem comprar o que lhe oferecem.

O resultado de um hedge é normalmente chamado de “green” porque qualquer dos resultados nos trará lucro.

No entanto, fazer um “red” por vezes é muito sábio, pois estamos a assumir uma perda seja qual for o resultado, mas evitar que se perca tudo o que se investiu.

É intuitivamente simples compreender que se trata de um green no lado oposto. Basta fazerem uma conta com a primeira fórmula, sendo o Z maior que Y e o resultado será negativo, ou seja, um “red”.

A “segurança do 1,01” é, basicamente, deixar aberto um hedge @ 1,01 para qualquer aposta punting que façamos. Deste modo, ganharemos de qualquer maneira e não arriscamos surpresas desagradáveis.

Os segredos do trading – David e Golias

Dizem os mais cépticos que não vale a pena fazer aplicar esta técnica uma vez que se o mercado se encontra nesta zona, a probabilidade de perdermos não compensa o número de vezes que tivemos que ceder a pequenina fracção do lucro que ganharíamos potencialmente.

Eu penso o contrário, e certamente muitos outros pensarão o mesmo. Basta abrir qualquer mercado na Betfair e ver olhar para a odd 1,01. Há sempre um grande volume de capital na casa do 1,01 porque muita gente acredita que mais vale prevenir que remediar.

Para além disso, as vantagens são mais do que pensamos: em primeiro lugar, ficamos com mais dinheiro imediatamente disponível.

Toda a nossa responsabilidade se transforma em 0 (porque com um hedge não podemos ter prejuízo), e o dinheiro fica disponibilizado de imediato na nossa conta, o que é bastante vantajoso quando trabalhamos com grandes percentagens da nossa banca em pré-live e precisamos rapidamente de mais capital.

Em segundo lugar, não arriscamos que ocorra uma remontada épica seja por que motivo for.

Lesão, roubo, cartão vermelho e consequente penalty quando ninguém o previa, enfim, todos nós já assistimos (e os nossos bolsos sentiram) situações destas, inexplicáveis para o ser humano racional, mas recorrente no desporto (e é esse um dos principais motivos pela qual existe paixão pelo desporto e pelas apostas).

Em terceiro lugar, no caso do ténis, evitamos que um favorito que tenha dado 6-0 no primeiro set e esteja com um break de vantagem no segundo se lembre de desistir.

Quantas vezes vemos jogadores com vários matchpoints desperdiçados e depois lembram-se de desistir.

Não nos podemos esquecer que a um jogador a servir com 3 matchpoints num tie-break @ 1.01 – 1.05, basta que leve dois mini-breaks (ou mesmo um) e ficam ambos @ 2 no início do 3º set.

Nunca devemos subestimar a volatilidade do desporto, por isso recomendo que se aplique esta técnica de segurança.

No final do ponto sobre o leverage irei ensinar uma pequena técnica que utilizo com base nesta segurança.

Scalping

Scalping é a técnica que consiste em fazer lucro aproveitando pequenos movimentos do mercado, comprando barato e vendendo caro.

É fazer hedges com pequenos ticks de diferença, mas em grande número.

Scalping

A vantagem é que o risco é muito pequeno, e controlamos muito mais o mercado, com possibilidade de sair da tentativa de scalping através de um scratch (explico mais tarde).

1 tick de diferença já é suficiente para ter um retorno bruto de aproximadamente 0,75% do valor investido (valor que varia consoante o valor da odd, como é evidente).

Normalmente (pois há excepções como o caso do AH), cada mercado abrange um total de 349 ticks.

a) Scalping com back first:

Analisando todos os ticks de scalping possíveis, com uma responsabilidade de 100 unidades e apostando a favor.

Conclusões a tirar:

  • O scalp menos lucrativo possível é comprar a odd de 2 e vender um tick abaixo, com apenas 0,48% de lucro;
  • O scalp mais lucrativo possível será comprar uma odd de 55 ou de 110 e vender um tick abaixo, com um lucro incrível de 9,5%.
  • A casa dos 1,01 a 1,25 e dos 2,02 a 2,5 são as mais lucrativas, pois trata-se de odds razoáveis para trabalhar e proporcionam um lucro entre 0,77% e 0,95%.

b) Scalping com Lay first:

Ao falarmos de scalping começando com o lay, os valores são radicalmente diferentes. Se analisarmos todas as odds possíveis de 1,01 a 990, teremos um quadro demasiado amplo para notarmos alguma movimentação.

Temos valores entre quase 95% e os 0%. O melhor é analisarmos em separado a variação entre 1,01 e 2 e a variação entre 2 e 200 (a partir daí um tick rondará valores irrisórios):

Conclusões a tirar:

  • Em termos gerais, quanto menor a odd a que fazemos lay num momento inicial, maior o lucro final (ao contrário do scalping com back, que não é de todo tão linear);
  • Não vale de todo a pena fazer lay a odds a partir de 5. O lucro obtido é muito baixo.
  • O melhor scalp possível com lay é de 1,01 para 1,02, com um lucro de 93,14%.

Como é evidente, muitos dos leitores já sabiam na teoria que, evidentemente, é assim que funciona o scalping, mas tendo uma visão em forma de gráfico ganhamos uma ideia diferente de tudo aquilo que anteriormente fazíamos.

Sobretudo no que ao lay diz respeito, como iremos aprofundar no próximo ponto “alavancagem”.

c) Scratching:

Esta técnica consiste em fazer tentar sair em segurança de um scalping que parece não nos ser favorável.

Ao invés de fazer um “red”, faz-se um null, ou seja, nem green, nem red. Tenta-se sair com a mesma odd com que se apostou, ganhando ou perdendo 0, ficando neutro nesse mercado.

Para dominar a técnica do scratching, é necessário prestar muita atenção à liquidez do mercado, e estar preparado para vender a nossa posição pelo mesmo valor que comprámos, caso detectemos que o mercado não está a ir na direcção que queremos.

Explicar um scratching é muito mais difícil que demonstrá-lo num vídeo, pelo que recomendo que assistam a vídeos sobre o mesmo.

Tratando-se de uma técnica já um pouco mais avançada do que o nível que apresento hoje, não irei desenvolver este tema por agora.

Leverage (alavancagem)

Se pagamos muito para obter pouco com um jogador extremamente favorito, como é evidente, o mesmo se passa na situação contrária.

Assim sendo podemos pagar pouco para obter muito se estivermos contra esse favorito. Essa é uma das vantagens do lay, arma que uma casa de apostas não nos pode dar, mas que temos à nossa disposição na Betfair.

Em termos técnicos, o leverage é uma técnica financeira que nos permite multiplicar ganhos ou perdas acima daquilo que detemos, multiplicando a rentabilidade de algo através de um endividamento.

Tal como vimos acima na explicação da técnica de scalping, quando fazemos um scalp com lay inicial, podemos obter lucros abusivos que vão decrescendo até aos quase 0%, à medida que a odd sobe.

Vamos então analisar os scalpings possíveis entre 1,01 e 1,2.

Parece, portanto, ser tentador procurar “falsos” favoritos em pré-live.

É simplesmente impressionante quando se descobre que um lay @ 1,01 com back @ 1,02 rentabiliza praticamente 93% da nossa responsabilidade, ou que um lay @ 1,08 com back @ 1,09 resulte num lucro de 10%.

Leverage No entanto, como é evidente, lutar contra uma odd destas é lutar contra algo extremamente provável, por isso deve ser aplicado sobretudo em pré-live, colocando sempre a nossa oferta à venda.

Mais uma vez reitero a ideia de não comprarem o que o mercado vos oferece: coloquem à venda um preço que saibam que brevemente ser-vos-á favorável.

Para quem compra as odds oferecidas e diz que “um ou dois ticks são irrelevantes”, vejam esta tabela e entendam que com 1000€ fariam 70€ com uma simples alteração de 1,12 para 1,13.

Não há nada melhor do que fazer um lay a equipas como o Barcelona ou o Real Madrid quando jogam em casa e têm odds baixíssimas.

Se previrmos que a odd irá aumentar ligeiramente antes do jogo, teremos um retorno substancial do que investimos, com uma variação de apenas 1 tick.

Uma técnica que aplico muitas vezes é a seguinte: como vimos antes, muitas vezes é recomendado que façamos um hedge @ 1,01.

Há quem opte por o fazer sempre, há quem opte por nunca o fazer e há quem opte por apenas o fazer em certas ocasiões.

No meu caso, faço sempre, mas o valor varia consoante as ocasiões.

O segredo é, ao invés de perder o valor irrisório que temos que dar em troca do hedge, dar o dobro (ou mais!) dependendo da nossa análise de jogo.

Assim temos hipótese de fazer um trade monumental caso a odd ainda suba para 1,04, 1,10 ou mais!

Uma coisa é uma equipa de futebol (favorita) estar a vencer 3-0 aos 70 minutos. Nesse caso, não confio muito que a odd irá subir do 1,01, porque o tempo joga a seu favor.

Mas no caso de, por exemplo, se tratar de um jogo de ténis em que um jogador está a servir para ganhar e está 0-0.

Vale bem a pena aplicar esta técnica, nem que seja para esperar por um 0-15 ou 30-30, que poderão subir a odd para 1.02.

Muitos outros exemplos podem ser dados, mas este truque trata-se de uma questão de feeling, e de arriscar sempre aquele bocadinho para um dia sair a sorte grande.

Espero que tenham gostado desta crónica e, apesar de muito básica, o meu desejo é que todos tenham aprendido nem que tenha sido apenas uma pequena ideia.

Para os mais iniciados, façam os trabalhos de casa e estudem as fórmulas que forneci e contrastem-nas com os gráficos do scalping e com casos reais.

Experimentem usar o Geek’s Toy em “Training Mode” para testar os vossos conhecimentos e certamente irão aprender muito mais com a prática do que com a teoria.

No próximo mês irei expor a minha maneira de pensar e as técnicas que utilizo durante determinados jogos de ténis. Agradeço desde já as vossas opiniões e sugestões.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *