Prognósticos para Apostas Desportivas Online - Aposta Ganha

A importância da Taxa de acerto e o Valor da odd

A importância da Taxa de acerto e o Valor da odd

Já tinham saudades? Eu já tinha! Vamos a mais um!

Mais um artigo, e desta vez um mais técnico com ajuda dos nossos user’s do ApostaGanha.

Chegando à conclusão que muito ainda falta por dizer e por escrever, hoje tomei as rédeas para escrever algo que muitos apostadores ficam confusos e muitos não percebem à primeira.

Falamos da importância da taxa de acerto e o valor alcançado na aposta, através da odd.

Não será fácil explicar o conceito “ideal” até porque teremos sempre que olhar para o nosso método de apostar.

Vamos mais uma vez fazer tudo por partes, e falando um pouco de tudo com alguns exemplos usando alguns métodos de aposta à mistura para ser mais percetível.

Como chegar à taxa de Acerto!

Para chegarmos a uma taxa de acerto, teremos que saber qual será essa mesma taxa, e como é que se chega lá?

Simples, através de um registo de apostas. Para quem ainda não sabe, temos muitos espalhados na www e até podem fazer um no vosso próprio computador usando o excel.

Com o registo conseguimos colocar a nossa stake, e a odd o mercado e as ligas onde vamos mandando os nossos tiros.

No fim de algumas apostas, conseguimos ter dados suficientes para saber qual é a nossa taxa de acerto, perceber onde estamos, se no meio de uma Bad Run ou numa fase mais favorável.

Ao calcular a nossa taxa, imaginamos a título de exemplo, que temos uma taxa de 63%, temos que calcular também a odd média desses mesmos acertos. Digamos que temos uma taxa de 63% para uma odd média de 1.62.

Vamos já concluir que temos uma taxa de acerto baixa para uma odd média de 1.62. Concordam?

Podemos também deduzir que apostamos na nossa maioria em odds baixas e mesmo assim não acertamos na maior probabilidade de acerto em cada aposta. Certo? Odd baixa maior a probabilidade de acontecer tal mercado!

Significa que mesmo em odds baixas, falhamos, o que também prova um velho lema nas apostas: “ Quando menor é a odd maior é a queda”.

Podemos dizer também que para odds de 1.63 somos por vezes obrigados a “esticar” a nossa stake, com isto, digo que, expomos em demasia a stake em relação à odd. Contudo vamos ficar sempre com a sensação do género “ farto-me de apostar e só ganho isto?”

Já em género de “conselho” a odd deve compensar o risco (stake) que colocamos em “jogo”… e ter o benefício, desse, mesmo risco (stake).

Voltando ao assunto, um apostador deve ser equilibrado, e esse equilíbrio passa pelo controlo de banca, ajuste da sua stake, olhando sempre para a odd e para o risco e não esquecer o EV + da aposta em si.

Bom que confusão, parece difícil, mas não é! Vejamos!

Tudo passa por acertar, certo?

Pois quanto for maior o acerto mais probabilidade temos de equilibrar esta equação. Mas acertar em odds baixas? Nem sempre o devemos fazer, pois obriga a mexer na stake ou a retirar pouca rentabilidade das apostas que fazemos.

Vamos exemplificar, imaginem uma balança, e o objetivo é estar o ponteiro sempre no “0” – equilíbrio. Obviamente esta balança é especial tem mais “pratos” do que os tradicionais 2.

Digamos que quando se coloca mais peso aqui, mais peso teremos que colocar no outro lado para equilibrar. Se temos uma odd alta, temos a possibilidade de colocar uma stake mais baixa. Se temos uma odd pequena temos que colocar uma stake mais alta, para equilibrar ou fazer mais apostas para tirar mais rentabilidade.

E agora o terceiro “prato” o acerto, sim porque tudo isto só interessa se acertarmos nos nossos prognósticos.

Esta parte é a mais difícil, e acertar muitas vezes, e claro aqui entram as Bad Runs ect ect.

Voltamos ao esquema da balança e vamos equilibrar?

Se no vosso registo vocês se apercebem que estão numa Bad Run, então ajustam de imediato a vossa stake, criando e introduzindo a vossa stake de “SOS” 0.5 unidades, por exemplo.

Ao fazerem isto estão a equilibrar a balança, já que a vossa taxa de acerto vais baixar nestas próximas apostas. E aqui equilibramos com a stake “SOS” e devemos também apostar menos, mas MANTER METODO!

Agora ao contrário, quando se apercebem que estão numa série boa, podem jogar “subir mais pouco” com a vossa stake, caso queiram.

Outra chamada de atenção, depois de uma boa série, o “Red” está cada vez mais perto, tenham essa consciência. Ponderem sempre subir ou não as vossas paradas das vossas stakes.

Muitos apostadores preferem nunca subir a stake, só baixam, isto porque o “Red” é mais impressível do que parece, e esta situação “brinca” com o apostador, pois este após uma boa série de greens, fica mais confiante e tem a tendência em expor-se mais um pouco e aí cai o Red.

Só mesmo os mais experientes conseguem manter a serenidade possível nestas situações e serem frios e arriscando a subida da stake numa série boa. Só com o passar dos anos é que se consegue saber que o mal e já ali e conseguimos prever a tempo, e o registo também pode ajudar, caso seja um padrão.

Agora vamos juntar estas vertentes todas que referi em cima, se conseguirmos fazer isto, conseguimos estar sempre no controlo e colocar a equação da taxa de acerto e da odd sempre nivelada.

Teorias dizem vocês, é complicado? Sim é e pode ser mesmo teorias, mas o principio passa por aqui. Só assim conseguimos nos “mexer” no meio desta equação complicada.

O apostador para ter sucesso neste requisito, tem que ser o mais elástico possível, e o importante é manter o registo atualizado para saber para que lado tem que se ajustar.

Voltamos ao inicio do ABC do apostador, a questão do registo, é sempre importante mesmo quando nos tornamos mais sérios nas apostas.

Olhando agora para a questão da odd a que devemos entrar ou a ideal, temos que ser sinceros, neste campo estamos muito dependentes do que as casas nos oferecem, e aqui não temos muito para fazer. Apenas devemos compara-la com a nossa odd justa (Fair Line) e verificar se temos EV + nesse evento. Claro ter a melhor casa de apostas do mundo, se for possível!

Muitos falam na odd de “corte” a odd mínima, eu concordo e eu tenho-a para mim. Apostar em odds abaixo de 1.60 torna-me mais exposto, mas isto porque também tenho Reds e uma taxa mais baixa, sou nenhum expert.

Como sei o que sou jogo de outra maneira, uso e procuro odds mais altas, sobretudo onde? Em ligas inferiores, onde por norma encontro odds mais altas mas claro tendo menos liquidez.

Lembram-se do equilíbrio que falei anteriormente, este foi outro exemplo, o meu exemplo.

A odd de corte pode ser atribuída olhando mais uma vez para o vosso registo, saberem que se entrarem abaixo daquele valor vão expor-se ainda mais. Isto é fácil de fazer, através de simulações por exemplo de várias entradas.

Parece que tudo é difícil, mas como já reparam tudo passa por terem um “simples registo” e com isso conseguem fazer milagres nas vossas apostas.

Algo que têm que colocar nas vossas mentes, têm que estar sempre à frente do que vos poderá acontecer, e estar sempre na retranca, sempre com um pé atrás.

E mesmo, sim mesmo quando perdermos, sabermos controlar essa perca, e saber o que podemos fazer para sair dela. E ainda saber que essas percas estão afetar, mas afetar onde nós queremos que afete controlando essa fase.

Hoje ficamos por aqui, trouxemos um artigo mais técnico, para ir ao encontro no que me tem sido pedido, e este foi um pedido especial que tentei esclarecer na medida que sei.

Aproveito o mote, estou aberto a sugestões para falar ou explicar, desde que consiga claro, do que necessitarem. Duvidas, métodos, o que for, usem os comentários em baixo deste artigo para sugerirem os próximos artigos.

Espero que apesar de ser um artigo que possa gerar confusões, tenha conseguido explicar minimamente o que pretendiam com esta temática.

Boa semana e boas apostas!

11 Comentários

  1. aigritos

    17 de Abril de 2018 at 22:57

    Já tinham saudades?
    Claro que sim.

    Aproveito o meu tempo de antena para dizer que as emissões da Rádio e os prognósticos dos tipsters do AG são uma mais valia no meu combate com o “inimigo” do nosso mercado regulado. Obrigado a todos.

    Boas apostas e bons ganhos.

    • Spinosa

      20 de Abril de 2018 at 21:59

      Obrigado, gostamos de vos ter por perto também! Segunda-feira lá estaremos de novo!

  2. Diogo Machado

    17 de Abril de 2018 at 23:22

    Excelente artigo! Gostava de sugerir um artigo, não sei se já foi abordado ou não visto eu ser relativamente recente no vosso fórum, quero perceber um pouco melhor o nivelamento das stakes, isto é, quando fazem uma aposta como definem se vão entrar com uma skate pequena, média ou grande? É com base na confiança que têm naquela aposta? Ou caso a odd esteja um pouco acima da nossa fair line fazemos uma entrada pequena e caso esteja bastante acima da nossa fair line fazemos uma entrada maior porque temos uma aposta com muito valor. Espero ter conseguido explicar-me da melhor maneira. Grande abraço

    • Spinosa

      20 de Abril de 2018 at 22:00

      Diogo estou a trabalhar nisso, aguarda por novidades aqui no Portal do ApostaGanha

  3. Tomás Coragem

    18 de Abril de 2018 at 0:05

    Bom tema, grande artigo!
    Algo que todos devem ter em conta quando estão neste mundo das apostas. Importantissimo ter um registo pessoal no minimo.
    E aconselho vivamente a que todos tenham também um registo publico, ou pelo menos uma experiência em sites de registos publicos como o blogabet, para que possam não só aprender com o vosso registo, como com os registos dos outros, estudando-os e aprendendo com isso.
    Comparar as taxas de acerto, e as odds com outros apostadores ajudou-me a mim a crescer bastante como apostador e a dar mais valor hoje em dia ao mercado e às odds.
    Dando um exemplo prático, verifiquei users com uma taxa de acerto ligeiramente superior à minha, este ano na NBA, nos 64% (enquanto a minha está nos 55%), mas como têm uma odd média de 1.67 o ROI deles fica entre os 4% enquanto o meu anda acima dos 10% porque a minha odd média anda nos 1.94.
    Isto para quem está a iniciar pode não fazer muita diferença, porque com pouco dinheiro não se nota assim tanta “diferença”, mas estas coisa no LONGO PRAZO (num ano de apostas, ou em 2,3 anos) fazem uma diferença ENORME!
    E para quem quer tirar frutos a constantes nas apostas tem de dar uma importância relativamente grande a estas coisas.
    Dito isto, boas apostas a todos, e que venham mais destes artigos 😉

    • Spinosa

      20 de Abril de 2018 at 22:01

      Obrigado por perder um pouco do teu tempo para leres estas palavaras, companheiro do Podcast ApostaGanha! Obrigado!

  4. Apostaganha

    18 de Abril de 2018 at 13:00

    Ricardo sempre em altas!

    • Spinosa

      20 de Abril de 2018 at 22:02

      Obrigado ApostaGanha pela oportunidade de poder ajudar a nossa comunidade!

      Let’s keep working!

  5. aigritos

    18 de Abril de 2018 at 21:39

    Uma possível alternativa para registo e monitorização das aposta:

    https://www.bettingmetrics.com/5-reasons-to-use-bettingmetrics

    https://youtu.be/l8paEXeBs0A

    Boas apostas e bons ganhos.

  6. Nuno Freire

    19 de Abril de 2018 at 19:43

    Mais um excelente artigo.

    Não percebi muito bem a parte da gestão de banca nas bad runs e nas good runs. Devemos reduzir a stake nas bad runs e aumentar nas good runs ?

    Ricardo, quando puder falar um pouco nisso no podcast eu agradecia. No próximo , se der eu vou puxar esse assunto, caso haja tempo claro.

    O meu muito obrigado, por estes artigos.

    cumprimentos

    • Spinosa

      20 de Abril de 2018 at 21:58

      Já te respondi em “directo” ontem. Mas na minha opinião só seves mexer na stake mais para a frente, quando tiveres mais experiência. Como disse no artigo, muito não gostam de mexer, tal como foi dito ontem na emissão, todos usam “flat stake” 😉

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.