Prognósticos para Apostas Desportivas Online - Aposta Ganha

Casas Europeias vs Casas Asiáticas a desmistificação

asiaticas vs

Estamos de volta a mais um artigo como é habitual, todas as semanas respeito a “vontade“ dos nossos tipsters, e até desejos e lanço mais uma farpa para o mundo das apostas online.

Parece que o assunto de hoje seja algo que já foi falado, escrito dezenas de vezes, muitos foram aqueles que escreveram sobre as diferenças entre as casas Europeias e as casas asiáticas, estou certo?

Mas as diferenças para muitos são obvias, mas a discussão que eu hoje trago é:

Será que podemos viver (apostar) uma sem a outra?

Será que podemos escolher apenas uma, e abdicar da outra?

Será que apenas uma casa nos dá aquilo que pretendemos e desejamos como apostadores?

Mais uma vez irei abordar as várias questões que considero pertinentes sobre este tema, mas sobretudo sobre este aspeto em concreto, que penso que muitos têm se esquecido de abordar.

Por tópicos como é normal tentarei sempre explicar o “meu” ponto de vista, e volto a referir, que não sou dono da razão nem nenhum “expert”, apenas partilho a minha ideia/opinião sobre o assunto e partilho-a como é génese da nossa Comunidade ApostaGanha.

As diferenças são obvias, sobretudo a cotação dos mercados, e claro a casa asiática oferece mercados bastante reduzidos, e as linhas bem “arrumadas”.

A casa europeia essa tem um largo espectro de mercados, desde de marcadores, cartões, também têm mercados asiáticos, mas as opções são mais variadas.

Centro-me naquilo que faço e naquilo que “sou” como apostador. Gosto de estudar um jogo que me “atraia” só de olhar as equipas. De seguida coloca mãos à obra e começo a “explorar” tudo como um Indiana Jones num templo qualquer perdido.

Mas gosto sobretudo de sentir que toda esta exploração, tenha um significado, que consiga colocar uma aposta em algo que considere de valor e em algo que veja que está mal colocado ou que a casa desvalorizou tal situação de jogo.

Obviamente que nem todos somos assim, o ideal, confesso é se não tem valor é desistir e ir para outro, mas por vezes sinto-me “frustrado” pois por exemplo a casa asiática não tem a linha que eu quero, pois está mais alta.

Por exemplo, nas casas de apostas offshore’s asiáticas, as linhas de golo/equipa, estão sempre justas, odds boas, gordas, mas com a linha muito acima do que pretendo.

Aqui é que considero fundamental ter uma casa Europeia.

por exemplo, estas têm mais linhas e mesmo com cotas mais baixas, podemos extrair sumo em algo, que desculpem a sinceridade, a casa asiática já sabe que tem valor.

Por vezes achamos que o nosso estudo nos revela algo interessante, por exemplo cantos, cartões, até marcadores, numa casa asiática não podemos explorar correctamente esta questão.

Por vezes abrem esses mercados, mas apenas para certos jogos e para determinados eventos desportivos, sobretudo os mais importantes.

O mercado de cartões, o mercado de cantos e o mercado de marcadores, pode e tem muito valor nas apostas que fazemos dia-a-dia.

Nem tudo tem que ser PRO, nem sempre temos que apostar só em determinados mercados, pois a meu ver isso é apenas para grandes High Roller’s ou outros que se equiparam.

Estes sim diferenças de 0.20 ticks são diferenças de mais ou menos 50 euros na ApostaGanha.

O comum e normal apostador, que quer rendimento extra, que aposta, para pagar as contas da sua vida normal, pode ter que ter mais opções, e uma casa europeia pode ser uma das soluções.

Claro e chamo atenção, isto é apenas “assunto” quando dou o meu exemplo, apostando em futebol, mas sei que por exemplo, as casas asiáticas nem têm futsal.

Voltamos a questão, uma sem a outra, uma melhor que a outra?

Sim e não, quem é profissional acredito que não queria sair da sua “matriz” de apostador, mas um apostador normal precisa de ter o seu leque mais alargado.

Uma casa Europeia é sempre boa ter na mão, e acredito que até os profissionais a tenham, pois por vezes é necessário apanhar aquela linha mais baixa, para ir com segurança (aparente).

Diria e respondendo as questões que coloquei em cima, um apostador não deve viver uma sem a outra, deve ter a possibilidade de ter essa escolha, ser livre de escolher.

Não podemos deitar de fora uma linha, porque não existe naquela casa em específico, não podemos deixar de colocar uma aposta no amarelo naquele defesa que o leva sempre e mesmo assim está a cotar a um preço muito bom.

Claro que a “lei” de um apostador profissional manda que sejamos mais “fechados” e mais centrados nos mercados e nas ligas que fazemos, mas mais uma vez, mesmo nestes casos, temos que fazer valer o nosso tempo que gastamos na análise daquele jogo.

Sim tem que ter valor, objectividade, e tem que haver uma razão óbvia para escolher tal aposta sem nunca perder o foco e a ideia da análise/aposta.

Deixo aqui um conselho, para quem não se diz profissional, ter uma casa Europeia é tão importante como ter uma casa asiática.

E agora o Mais triste…

Voltando a frisar que em Portugal, não nos permitem ter esta opção o que vem ainda reforçar a dificuldade do apostador português conseguir ter sucesso no mundo das apostas.

Muitos pedem menos taxação e com isso podia permitir a entrada de casas boas europeias, eu apenas pedia que se discutisse mais o porquê de um apostador português estar a ser limitado nas suas capacidades de poder ganhar mais dinheiro.

Se uma coisa não leva a outra, leva, mas não é justo que um principio básico, que nos “bloqueiem” em forma de Lei a algo que nos possa permitir fugir das manhas das casas de apostas e que o apostador consiga ter mais condições de vida, sobretudo monetárias e com isso ter mais posse monetária e ajudar a nossa economia, via impostos ou via poder de compra.

Acredito que para além de ter que se mudar a taxação em Portugal, deveria discutir um principio básico, é a igualdade de oportunidades neste caso especifico nas apostas desportivas, comparando-o o que se passa lá fora e até na nossa vizinha Espanha.

Continuamos “presos” amarrados à Lei que já nasceu “ultrapassada” e continuamos à espera da tal alteração, que nunca mais ouvimos falar. O assunto morreu…. E casas novas? Nem ouvimos mais falar…..

Já vai longo o artigo, e espero que tenham percebido o verdadeiro conceito deste artigo afastando-se dos “ideais” do que se deve ou não fazer.

Apenas serve para desmistificar que uma pode viver sem a outra, e ambas também podem coexistir no mundo das apostas.

Obviamente que requer um controlo mais atento à banca, mas isso é só mais uma linha de calculo, ou mais uma folha no nosso excel de controlo de banca ou até num software disponível na World Wide Web.

Um abraço amigos, boas apostas e boa sorte.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *