Regra dos 40 nas apostas desportivas

Aposta Ganha / Tutoriais e Dicas de Apostas / Regra dos 40 nas apostas desportivas

Finalmente o mês de fevereiro. Para os amantes de futebol e para os apostadores, o mês de fevereiro tem sempre um encanto especial, é portanto, um mês de muita emoção, e um dos meses mais esperados na época desportiva. vamos à Regra dos 40 nas apostas desportivas.

A regra dos 40 nas apostas desportivas

Em fevereiro, temos uma amostra de jogos suficientes para começar a tirar conclusões, as equipas entram numa fase decisiva na luta pelos seus objectivos, e temos sempre a aguardada fase final da Liga dos Campeões. E no entanto, é um mês perigoso para os apostadores.

E posso dar o meu exemplo pessoal neste caso. Por norma, sempre tive bons resultados na Liga dos Campeões, mesmo na fase final, mas no geral o mês de fevereiro nem sempre corresponde às expectativas.

Sendo que eu tenho êxito na “nova competição”, e o que está menos bem é a performance nas competições continuadamente acompanhadas, podemos chamar a este factor uma má fase?

Esta começou por ser a minha questão inicial.

Eu pessoalmente gosto de analisar todos os meus meses, não apenas quando fecho um mês com prejuízo, porque acredito que posso perceber como um mês lucrativo poderia ter sido mais lucrativo. Como sei que estou a passar por uma má fase?

Neste caso, eu apostava nos campeonatos onde sempre apostei, acompanhava equipas que sempre acompanhei, e o meu método de apostas não mudou, então o que faz com que eu tenha uma quebra de ganhos em relação a dezembro para fevereiro 3 anos seguidos?

Certamente, 3 más fases na mesma altura do ano parece ser coincidência a mais. É importante analisar o que se passou.

A única alteração, é eu fazer entradas na Liga dos Campeões, mas essa competição está a dar lucro, então não pode ser o problema.

Foi então que comecei a observar o comportamento de apostadores mais experientes no ApostaGanha.

Era curioso, que muitos apostadores experientes, especialistas nas principais Ligas, preferiam por esta altura, apostar em ligas secundárias. Seguda Liga da Holanda, Segunda Liga de Inglaterra, e por aí.

Muitos destes apostadores chegam até a não fazer qualquer entrada nos grandes jogos da Liga dos Campeões.

E foi aqui que comecei a perceber qual era o meu problema real. Não era apenas uma má fase, eu estava a ter uma quebra de lucros, porque estava a fazer exactamente o mesmo.

As competições europeias trazem uma enorme responsabilidade para as grandes equipas, e esta competição afecta os jogadores fisicamente e emocionalmente.

champions

Basta verem os jogos deste mês, e observem na quantidade de substituições na primeira parte, quer dizer, lesões.

E na esmagadora maioria dos casos, lesões físicas. Não é por acaso que os apostadores experientes começam a dizer por esta altura “cuidado, há champions”.

Porque na Liga dos Campeões começamos a ver valor em tudo, grandes jogos, grandes equipas, grandes jogadores.

Nos campeonatos, o meu problema era que até aqui, as grandes equipas estavam a cumprir handicaps. Equipas que normalmente não falham muito, Bayern na Alemanha, City em Inglaterra, Barça e Real em Espanha.

E eram estas equipas que estavam a falhar em fevereiro. Estas equipas pela necessidade de ganhar, para se manter na luta pelo título, continua a vencer, mas para os apostadores existe uma enorme diferença entre vencer e cumprir handicaps.

As equipas começam a sentir desgaste e uma enorme pressão para ganhar

Há mais rotações, há mais concentração, e menos necessidade de golear. Um over 3,5 pode ser realmente alto por estas alturas, e nem sempre as odds oferecem valor. Uma equipa a ganhar 2 – 0 quer controlar o jogo, quer descansar jogadores.

Daqui, vem outro erro comum dos apostadores. Como as equipas grandes não estão a resultar, viram-se para as equipas em lugares de despromoção.

São equipas com muitos golos sofridos por estas alturas, são equipas que precisam “desesperadamente de pontos” e que certamente vão abrir jogos, mais se jogarem em casa. A verdade é que não estamos a verificar nada disto.

As equipas que estão em lugares de despromoção, sabem porque é que estão nessa posição.

As equipas começam a sentir desgaste e uma enorme pressão para ganhar

Estão perfeitamente conscientes por esta altura quais são as suas fraquezas, e sabem que por serem menos dotadas técnica e tacticamente, não podem abrir jogos durante 90 min ou vão ser atropeladas.

São equipas que até defendem desvantagens, pois acreditam que o empate pode chegar e 1 ponto é 1 ponto. Estas equipas são boas para serem exploradas na recta final do campeonato, quando já não há nada a perder, mas este não é esse momento.

Por exemplo, o Toulouse em França, está numa situação muito complicada no último lugar, com 54 golos sofridos, e dos últimos 5 encontros 4 foram under 2,5.

Então, que equipas podemos explorar nesta altura?

É aí que entra a minha regra dos 40. Há realmente a possibilidade de explorar ligas secundárias, mas isso é uma proposta a longo prazo, porque requer épocas de observação, ninguém começa a apostar simplesmente numa liga secundária porque sim, há trabalho para trás.

Então podemos explorar as ligas que temos acompanhado. 40 é o número de pontos que os treinadores têm em mente para garantir a promoção, atingindo este número a equipa fica mais confortável, e porque pensam assim?

Porque sabemos que há equipas que são boas demais para descer, e não são boas o suficiente para lutar por lugares europeus. São as equipas de meio da tabela.

Desde que comecei a explorar mais equipas de meio tabela por esta altura, o meu rendimento não mudou só no mês, fez-se notar no ano.

São equipas que não jogam competições europeias, então têm poucos problemas com lesões, estão frescas, têm jogadores com qualidade e podem causar problemas às outras.

Para além disso, por estarem agora numa posição confortável, têm menos pressão, e procuram resultados, jogam com liberdade e faz-se notar a nível ofensivo.

O jogo perfeito para este exemplo, foi o último Nice – Brest, que terminou 2 – 2. Duas equipas com qualidade na Liga Francesa este ano, longe da luta pela manutenção, e que estão igualmente longe dos lugares europeus.

Este é o tipo de jogo que temos de procurar nesta altura.

Se alguém tiver a passar por um mês menos bom, consulte o registo, observem se estão a abusar na procura de handicaps por grandes equipas e ignorar o valor no meio da tabela, é uma alteração que pode fazer a diferença entre o lucro e o prejuízo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Casas de Apostas
Luckia

Não tem bónus de Boas vindas para a postas desportivas online.

Nossa Aposta

Não tem bónus de Boas vindas para a postas desportivas online.

Betclic

Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 50% até um máximo de 50 euros.

Bet.pt

Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 50% até um máximo de 50 euros.

Betway

Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 100% até um máximo de 100 euros.

ESC Online

Freebet de 10€ mais 100% de bónus sobre o valor do seu depósito até um máximo de 250 de bónus.

Betano

Bónus de Boas Vindas para o primeiro depósito de 50% até um máximo de 50 euros.