Prognósticos para Apostas Desportivas Online - Aposta Ganha

Apostador 360

Apostador 360

Mais um artigo aproveitando o “mote” dado num dos nossos Podcast’s ApostaGanha.

A pergunta surgiu que nem uma bomba e foi direcionada aos radialistas de serviço, e deixando que esta questão fica-se ainda muito para explicar e responder.

Aproveitei-me do assunto, digamos e falsa modéstia, e trago à baila então este assunto, Apostador 360.

Definição de um Apostador 360

Digamos que um Apostador 360 será pela sua definição, uma apostador que dispara para todo o lado, ou melhor, aposta nas várias opções que tem.

Digamos, e agora vamos puxar os conhecimentos de matemática, 360 é começar e acabar no mesmo ponto. E direi mais lá para o final a minha opinião mas, não será verdade?

Um apostador 360 consegue por norma colocar-se e estar em várias frentes ao mesmo tempo, digamos que consegue, ser bom apostador no Live, em Punter e até fazer Trading.

Esta será a melhor definição de um Apostador 360, mas agora vamos falar dos prós e contras, e sobretudo irei apenas opinar sobre este caso, e não passará mesmo da minha opinião.

Apostador 360 – Vantagens

Vamos partir do suposto que este apostador é mesmo bom nestas frentes todas das apostas.

E é aqui que começo já a entrevir, será que conseguimos ser assim tão bons e ter uma rentabilidade aceitável em diferentes maneiras de se apostar?

Eu não acredito, mas poderemos encontrar os tais “suprassumos” das apostas, é um facto.

Não acredito que exista alguém com a capacidade, ou melhor que existam muitos, com esta capacidade de “360”. Podemos até conseguir fazer um pouco de tudo, mas com a rentabilidade necessária, isso não acredito.

Estar bem no Trading, no Punter, saber apostar em Live, saber entrar em earlys, meus amigos não é para todos. Juntando ainda, efetuar o seu estudo pré live, com as suas projeções de linhas (Fair Lines) e depois intervir no mercado e logo a seguir estar a fazer Scalping???

Não sei, mesmo, eu pelo menos não terei essa capacidade, e dígamos que não conheço nas apostas alguém que o faça.

Experimentar? Sim, todos os apostadores passam por isso, e devem passar. Acredito que no processo de desenvolvimento das apostas desportivas, o apostador que se inicia deve experimentar onde se sente melhor e consiga tirar maior rentabilidade, mesmo que isso possa ir contra aquilo que “sente”.

Aqui gosto do conceito 360, na fase inicial, naquela fase que ainda não sabemos onde somos bons, onde nós nos sentimos bem a fazer as nossas apostas.

Experimentar com moderação, mesmo que se chegue a loucura de perder uma banca, só vejo como um natural processo de aprendizagem.

Apostador 360 – Desvantagens

Ser um apostador 360 obriga-nos a ter contas em várias casas de apostas, e com isso vamos distribuir o nosso dinheiro por elas.

Esta situação só nos vai enfraquecer a nossa stake e a nossa gestão de banca, já que seremos obrigados a gerir de maneira diferente cada banca em cada casa de apostas.

Já não irei falar das taxas associadas aos depósitos e aos levantamentos em cada casa que estamos sujeitos.

Gestão de banca, falei nisso e volto a falar, no Trading e no Punter a gestão de banca faz-se de maneira diferente, o que obriga ao Apostador 360 a ter uma capacidade extra de gestão de bancas.

A questão que levanto a seguir é, como é que o Apostador 360 atua naquele jogo? Punter? Trading? Já não basta ter que estudar o jogo por si só, ainda teremos que adicionar qual a melhor estratégia para se apostar, digamos escolher entre o Punter ou Trading, ou só fazer este jogo em Live.

Digamos que seria um exercício, que para mim não dava, ter que pensar nas várias vertentes de se apostar ou abordar o jogo, daria o “Tilt” em três tempos.

Concordo que este Apostador 360 terá que ter uma capacidade acima da média para conseguir safar-se neste modelo.

Mais desvantagens, a força da sua stake, como já o disse, ter a banca dispersa em várias casas enfraquece a nossa stake, e com isto podemos extrair ainda menos valor nas apostas que fazemos.

No Trading por exemplo em que vejo que é necessário ter uma boa banca para se estar confortável, diria, que este Apostador 360 antes de apostar deveria ter ganho alguma herança ou então ganha muito bem na sua vida pessoal.

Brincadeira, eu sei, mas digamos que o investimento teria que ser enorme para que um Apostador 360 possa ser rentável com este método.

Capacidade de concentração, penso que aqui é geral, teremos todos que estar concentrados naquilo que estamos a fazer, mas num método 360 as forças terão que ser sobrenaturais quase.

Falta falar da estratégia, digamos que sinto muito pouco à vontade para falar disto, pois eu não saberia adotar a melhor estratégia para poder apostar em 360.

Mas acredito que o princípio seria mais ao menos este, dispersar a banca e no fim do dia/semana juntar novamente e fazer contas. Ter sempre um registo para cada modelo de atuação do mercado. Efetuar um bom esquema de atuação antes de tudo acontecer, ter um bom plano de jogos. Pensar num plano b e c se as coisas não estiverem a correr bem.

Em suma passa um pouco por aqui, e digamos que volto a dizer que não serei a melhor pessoa para explicar isto da melhor maneira. Mas se tentasse seria assim.
Cansaço/desgaste – Este método a meu ver tereia tudo isto, cansaço, desgaste, digamos que teríamos que estar sempre em “forma”.

Em género de conclusão digo que este método não seria fácil nem tão pouco rentável para mim. Para além de ser bastante complexo e sobretudo desgastante, o que poderia elevar a fasquia do erro.

Com este método estaríamos mais exposto ao erro e sobretudo mais dispersos na nossa concentração. O facto de perdermos valor na nossa stake deixa-nos à mercê das Bad Runs.

Falando em força, com stakes mais baixas e com a necessidade no Trading de ter mais investimento, surge o problema, estaríamos a comprar “ganhos/percas” de maneira e exposições diferentes. Ter-se-ia que arranjar um ponto de equilibro ou um fator de correlação entre estas duas bancas por exemplo – complexo!

Digamos que desaconselho este novo método que tanto já para aí se fala!

MAS

Sempre uma “MAS” acredito plenamente que alguém consiga sair a ganhar com o método 360, e no dia que conhecer um apostador destes, e com provas dadas irei chama-lo de Super Apostador e direi que afinal é mesmo possível!


Mas a matemática é algo que me persegue para todo o lado e 360º é começar num lado e acabar no mesmo sítio….

Até ao próximo artigo e boas apostas!

7 Comentários

  1. Rodrigo Cesar ApostaGanhaBR

    4 de Abril de 2018 at 12:58

    Minha dúvida é exatamente essa que vc expressa no final…há algum super homem capaz de tudo isso? é a mesma coisa que acreditar que alguém possa ser médico, engenheiro e fisico ao mesmo tempo….possível é…provavel não….no começo da carreira concordo que devemos experimentar de tudo….mas como tudo na vida só vejo solução na especialização…mas nada impede que por vezes usemos algumas estratégias de outras áreas para melhorar nosso desempenho..mas especialista em tudo..complicado…

  2. aigritos

    4 de Abril de 2018 at 21:21

    Ainda não li, vou colocar a minha pick e volto já. Mas tenho a certeza que está espectacular.
    Até ja.
    🙂

  3. aigritos

    4 de Abril de 2018 at 23:25

    Gostei de ler.
    É ajustar o rumo e seguir em frente.

    https://youtu.be/F4fyKnu5dt0

    Vida Longa e Próspera.

  4. Nuno Freire

    6 de Abril de 2018 at 17:53

    Boas.

    Gostei de ler como sempre. Tendo como premissa que estamos a falar de um apostador/trader que vive das apostas, permita-me discordar em alguns pontos, sendo que a minha vida de apostador punter tem pouco mais de 2/3 meses.

    1– A banca no trading não tem que ser maior, antes pelo contrário, pelo facto de no trading estarmos menos expostos ao risco. Tendo como base uma banca de 10.000 euros, em jogos grandes, com volume, facilmente conseguimos que 20% dessa banca seja correspondida, basta aproveitar o movimento do volume nas odds. Agora como punter, eu não coloco 20% da minha banca em risco numa só entrada.

    2– No trading, num jogo, corrida ou evento, onde se consiga fazer várias entradas e saidas de capital, podemos rodar a nossa banca uma ou mais vezes num só evento, desde que haja volume e oportunidade no movimento do próprio volume para isso,lembrando que podemos fazer saida de 100% do capital investido e continuar a aumentar o green, sem estar exposto no mercado e repartir os lucros mais tarde. E no entretanto entrar e sair no mercado novamente sem fechar posições. Por isso disse anteriormente que o risco no trading é inferior e conseguimos investir mais percentagem da nossa banca.

    3– Pode-se separar as coisas, fazer uma aposta punter, cobrir ou reforçar essa aposta em live ou deixar o jogo correr até ao fim sem fazer nada. E já que se está a ver o evento aproveitar o movimento do volume para fazer entradas e saídas, caso surja a oportunidade. O ideal é ter bancas separadas, e usar a bolsa de apostas só para trading e uma outra casa de apostas só para apostas punter.

    A questão aqui é se vale a pena o esforço e o tempo despendido. Eu vejo por mim, o tempo que eu preciso para fazer uma análise de um jogo para uma aposta punter, antes do evento acontecer, depois, comparar as minhas linhas com as linhas das casas de apostas e ainda depois disso, assitir aos jogos , cobrir ou reforçar a aposta em live para ver se o jogo corre de feição. E depois desse trabalho todo ainda estar à procura de entradas para o trading, é obra de um super homem e não de um homem comum com família.

    Na minha opinião em conclusão ,depois deste testamento, ou nos dedicamos ao trading ao ás apostas punter.

    Pessoalmente, neste momento em Portugal o trading está proibido. Abrir contas ilegais numa bolsa de apostas está fora de questão, pois andar a brincar com o sustento da nossa família não me parece razoável. Então só restam as apostar punter, aprender , estudar este novo modo de apostar contra uma casa de apostas.

    cumprimentos

  5. José Dourado

    12 de Abril de 2018 at 3:25

    Um artigo muito oportuno. A minha conclusão é semelhante, ou seja, custa-me acreditar que seja possível sermos um 360.
    Assim como diz o Nuno Freire no seu comentário, também eu dedico um tempo importante à análise prévia de um jogo e à comparação entre as linhas apresentadas pelas casas e as linhas que considero justas. Depois assisto ao jogo, e aqui posso deixá-lo correr tranquilamente mas também corrigi-lo, isto é, cobrir a minha aposta punter inicial (ou ainda reforçá-la). Confesso que as minhas atuações live são ainda muito escassas. No entanto, se somarmos a tudo isto todas as técnicas de trading, fico com a sensação de que não teríamos tempo para nada ou que, seguramente, iríamos cumprir todas as nossas técnicas punter e trader de modo superficial. Em última instância, não seríamos nem punters nem traders.
    Atenção porque eu também considero que, enquanto punter, posso (e se calhar devo) cuidar da minha aposta, e nesse caso deverei entrar live. De qualquer modo, essa situação depende do perfil de cada um e, em todo o caso, nada tem a ver com um “apostador 360”.

  6. vitor

    13 de Abril de 2018 at 13:07

    li o artigo e achei bastante interessante, talvez eu seja o tal apostador 360 🙂

    comecei a fazer apostas ha sensivelmente 15 anos atras, e desde logo percebi que iria vir a ser profissional.

    aluguei um t0 para viver e com uma banca pequena comecei a fazer varias projetos ao mesmo tempo(arbitragens, sure bets, bonus, etc) ao qual fez com que eu como trader/apostador absorve se um grande conhecimento sobre as varias maneiras de fazer dinheiro nas apostas e também perceber como mercado funciona.

    fui crescendo e ha cerca de 8 anos ganho dinheiro todos os meses(tirando dezembro e janeiro que é quando o tênis esta parado).

    desenvolvi estrategias a nivel de livebetting no bet365 em tênis, e a minha media semanal é 200% de lucro da stake que uso, desenvolvi estratégias de gestão de banca e controlo emocional.

    estas estrategias basean se em varios factores e em cada jogo eu faço apostas diferentes, alguns em mode de trading outra em mode de punter. depende da avaliação e as decisões feitas por mim.

    o segredo nas apostas é a capacidade de trabalho de cada apostador.

    eu no meu caso trabalho de 2f a 6f, 10 horas por dia desde o ano 2008 a ver e analisar jogos de tênis estatísticas, formas, etc etc e so assim consigo saber exatamente como e porque apostar.

    na minha óptica um apostador profissional sabe como fazer dinheiro e esta é a principal vantagem.

    um apostador/ trader professional é como se fosse um atleta de alta competição, precisa de treinar todos os dias para manter o nível alto a nível de desempenho.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *